segunda-feira, 17 de maio de 2010

[fanfic #001] [capítulo #017] [U2] EGB


CAPÍTULO 17

Edge estava vendo televisão na sala, com Gill e Dick, quando o telefone tocou. Gill foi atender.
-- Alô... Oi, amor! - Edge e Dick olharam para ela, e depois um para o outro – Nossa, eu também tava... Ai, pára, não fala assim... Eu também amo ouvir sua voz, é tão bonita... Você sabe que você é o homem mais bonito do mundo, né? - ela riu – Tá, bonito, sexy e gostoso... Hum... Deixa eu pensar... Os olhos! Do corpo? Nossa, difícil... Acho que o braço, ou o peito... É, eu amo te ver sem camisa. Pena que eu nunca tenha te visto sem calça... Ai, promete mesmo? Quando? Tá bom, vou cobrar, heim? E o que você vai querer em troca? - ela riu, vermelha – Ai, pára... Você sabe que eu não posso... Meus irmãos me matam... Ah, mas eles vão acabar descobrindo, você sabe como são essas coisas. Ah, quando você quiser. Eu também to doida pra te dar um beijo... Tá bom, então. Mas só se você casar comigo. - mais risos – Ai, ai, tá bom... E ele vai ser a sua cara, com certeza. Tudo bem, tudo bem... Também te amo, querido. Um milhão de beijos pra você.
Ao contrário do que era esperado, ela não desligou o telefone. Virou-se para Edge e disse:
-- Maninho, é pra você!
-- Ahm? Pra mim?
-- É, meu namorado gostoso tá querendo sua permissão pra me mostrar umas coisinhas que ele esconde dentro da calça.
Ela saiu, cantarolando alegremente. Edge olhou para Dick, e então pegou o telefone.
-- Alô?
-- Oi, cunhado.
-- Bono!? O que é que você tava falando pra minha irmã?
-- Só estava elogiando as... Qualidades físicas que a natureza deu a ela.
-- Olha lá, heim, se eu souber que anda se engraçando com ela...
-- Edge, meu anjo, você acha que eu pegaria a irmã do meu melhor amigo? Imagina.
Ele começou a rir. Edge suspirou.
-- Se tem amor ao que você esconde dentro da calça, então é bom nem tentar encostar nela.
-- Credo, Edge, está me ameaçando de castração?
Edge riu.
-- É só um aviso.
-- Eu sei que você nunca faria isso. - Edge quase podia ver o sorriso malicioso de Bono – Ia ser uma perda enorme pra você também.
-- Bem... - ele ficou vermelho – Você não ligou só pra falar da Gill, né?
-- Não, claro que não... Ai, mas essa menina faz qualquer um perder a linha... Bem, eu liguei pra dizer que fiz as pazes com o Guggi.
-- Que bom... Eu sabia que ia acabar tudo bem.
-- É, ele pediu desculpas, assumiu que está com um problema, disse que vai parar de se drogar, me pediu ajuda... Eu acho que as coisas vão melhorar pra ele. E melhoraram muito pra gente.
-- Vocês... Brincaram?
-- Brincamos. - ele riu – Foi tão bom... Ele aprendeu umas coisas novas com o Gavin, e me ensinou, foi incrível! Depois eu te ensino também.
-- Mas como é? Que tipo de coisas?
-- Ah, eu não vou falar, tenho vergonha...
-- Que menino tímido...
-- Só vou dizer que envolve chocolate derretido e morangos, e que requer um bom banho depois.
-- Hum... Deve ser bom...
-- O mais importante é a temperatura do chocolate... Mas depois eu te mostro. Dá pra fazer com leite condensado também, eu e ele brincávamos muito assim quando tínhamos uns oito, nove anos.
-- Oba, depois me ensina!
-- Ensino, claro... Escuta, você vem aqui amanhã pra gente terminar de ver o filme?
-- Você diz começar, né? Vou, sim.
-- E... Eu posso chamar o Guggi?
-- Pode, tudo bem... Mas ele não se importa de eu estar junto?
-- Não, eu expliquei pra ele que a gente fez as pazes, falei sobre a nossa conversa... Ele entendeu, ficou até feliz, por agora eu ter mais alguém. Ele se sentia um pouco culpado, sabe, porque as vezes ele estava com o Gavin, e eu ficava sozinho... Agora ele sabe que sempre vou ter alguém pra me fazer feliz.
-- Eu sempre vou te fazer feliz.
-- Eu sei.
-- Então, amanhã eu vou aí.
-- Tá bom, vou te esperar. Um beijo.
-- Mil beijos, pra você. - ele sorriu sem nem perceber – Gostoso.
Bono riu.
-- Eu te amo.
-- Eu também te amo.
-- Até amanhã.
-- Até.
Ele desligou, suspirando: sua vontade era ficar o resto da vida ouvindo a voz de Bono, ou ir o mais rápido possível para a casa dele. Saber que ia ter que esperar até o dia seguinte...
-- No geral, foi suportável – ele ouviu Dick dizer, e se virou – mas a parte do “gostoso” foi nojenta.
-- Ah, Dick – ele riu e jogou uma almofada no irmão – Não enche.
-- A parte do “eu te amo” foi horrível.
-- Ele gostou, é o que importa.
-- Já vi que ele gosta mesmo do sobrenome Evans. Primeiro você, e pelo jeito a Gill tá indo pelo mesmo caminho...
-- É mesmo. Cuidado, heim? O próximo pode ser você.
-- Nem depois de morto.
* * * * *

Foi um pouco constrangedor para Edge ficar frente a frente com Guggi, e o outro sentia o mesmo. Não era fácil esquecer que eles quase haviam se matado.
-- Eu... Ahm... - Guggi começou, sem jeito – Olha, cara... Desculpa aquele dia, por eu ter... Te atacado daquele jeito...
-- Tudo bem, eu... Eu entendo, você só estava... Protegendo o Bono. Eu faria o mesmo por ele.
-- Então... Amigos?
-- É, amigos.
Eles se deram as mãos. Bono estava radiante.
-- Que bom que fizeram as pazes. - ele abraçou Guggi pelos ombros com um braço, e com o outro abraçou Edge – Eu não gostaria que meus dois melhores amigos ficassem brigados.
-- Tudo bem, já passou. - disse Edge – Eu sempre fui com a sua cara, Guggi.
-- Eu também sempre fui com a sua. - disse Guggi – Você é um cara legal.
-- Muito bem, crianças – disse Bono – eu vou fazer pipoca, me esperem aqui na sala! E não comecem a ver o filme sem mim, ouviram?
Ele correu para a cozinha. Edge e Guggi ficaram sentados no sofá.
-- Então – disse Guggi – agora, Edge pertence ao Clube dos Amigos Especiais.
-- É – Edge riu – eu acho que sim.
-- E como você se sente? Digo, em relação ao Bono?
-- Você diz... Como eu me sinto por ser amigo dele?
-- É. É uma grande honra, até agora eu tinha sido o único amigo íntimo dele.
-- Ah, eu... Eu me sinto feliz. - ele ficou vermelho – Eu sempre gostei muito do Bono. Eu... Sinto uma coisa muito especial por ele.
-- Eu também. É impossível conhecer o Bono e não amar ele, não é? Eu sempre digo pra ele que já fiz sexo com muita gente, mas ele e Gavin são as únicas pessoas com quem já fiz amor.
-- Quando foi que você e ele... Se tornaram especiais um para o outro?
-- Ah, não sei. Minhas lembranças mais antigas são com o Bono, então é como se ele tivesse sido meu amigo especial desde que eu nasci.
-- Mas quando foi que você e ele começaram a “brincar”?
-- Ah, isso também começou cedo... Quer dizer, não como agora, não é?  Quando tínhamos uns cinco, seis anos, brincávamos de dar beijinhos, mas era mais um cumprimento. Também ficávamos dando banho um no outro, aí eu segurava o pau dele e ele segurava o meu, às vezes a gente colocava na boca, mas na inocência, coisa normal. Conheço um monte de gente que também fez isso. Quando o Bono tinha quinze anos, eu senti que ele ia explodir se continuasse a ser virgem, então...
-- Peraí. Então até dois anos atrás ele era virgem?
-- Era. Ele fazia pose de quem já tinha pego geral, mas nunca tinha chego nos finalmentes. Ele pegava a menina, levava pra um canto, eles ficavam se agarrando, mas na hora h, não rolava. Aí, eu arrumei uma menina pra transar com ele, uma que eu sabia que era boa. Ele adorou, e eu fiquei muito tempo fazendo isso, e ele também arrumava meninas pra mim. Só que um dia, a gente estava acampando, e estávamos dividindo a mesma barraca, e tínhamos bebido muito. E ele estava morrendo de vontade, estava doido mesmo, e não tinha nenhuma menina ali. Aí ele pediu licença e começou a fazer sozinho, a gente tava acostumado a fazer na frente um do outro... Só que eu percebi que era pouco pra ele, ele não estava conseguindo. Então eu perguntei se ele queria que eu ajudasse, e fiz isso pra ele. Ele ficou tão feliz, chegou a chorar, me agradeceu, disse que eu tinha salvo a vida dele. E depois ele fez pra mim. Aí as coisas foram evoluindo naturalmente.
-- Mas nesse dia do acampamento você deu pra ele?
-- Não, só fiquei brincando. Só dei pra ele depois de um tempo. E ele também demorou um pouco pra dar pra mim, mas não foi porque a gente não quisesse ou tivesse, sei lá, medo, era porque a gente só fazia isso quando não tinha meninas, e geralmente tinha meninas. Não é tão importante, sabe, é muito mais legal quando eu pego uma menina e depois vou contar pra ele como foi.
Bono voltou, trazendo uma bacia cheia de pipocas e uma garrafa de coca-cola.
-- Demorei?
-- Nem um pouco. - disse Guggi – Só deu pra mim contar a nossa vida inteira.
-- Ah, então estava contando nossas aventuras...
-- Aventuras sexuais, digamos assim.
-- São as melhores. Bem, vamos ver o filme?
Ele se sentou entre os dois, e ligou o vídeo. O filme começou, e eles ficaram vendo e comendo. Quando a pipoca e o refrigerante acabaram, Bono correu para a cozinha e voltou pouco depois, trazendo chocolate. Se deitou no chão e disse:
-- Quem quer chocolate?
-- Eu!
-- Eu também!
-- Tomem. - ele deu chocolate para os dois – Vem cá, Guggi. Deita aqui.
Guggi saiu do sofá e se deitou ao lado de Bono. Este estendeu o braço para ele, e Guggi deitou em seu peito. Em seguida, Bono fez o mesmo gesto para Edge.
-- Vem, Edge.
Edge foi, deitando-se no peito de Bono. A cena era exatamente igual a que acontecera a muito tempo atrás, dentro de uma barraca, em um morro coberto de neve. As únicas diferenças eram que, agora, Bono estava sem camisa e o dia estava absurdamente quente.
-- Sabe, esse filme é muito bom – disse Guggi – mas os seus olhos são muito melhores.
Ele olhou para Bono, que sorriu. Em seguida se ergueu um pouco e lhe deu um beijo. Edge olhava para os dois, e sorriu quando Bono olhou para ele. Levantou-se e fez o mesmo que Guggi fizera.
-- Concordo. - disse Edge – Seus olhos são melhores.
Guggi beijava o pescoço de Bono, e Edge começou a beijar seu peito. Bono riu.
-- Crianças... O filme...
-- Filme? - Guggi sorriu – Que filme?
-- O único filme que quero ver – disse Edge – está na minha frente.
Os dois beijaram Bono, que suspirou.
-- É mesmo, né? - ele passou a mão pelos rostos dos dois – Que filme?
E eles se perderam em um milhão de beijos.

2 comentários:

NathiLuke disse...

fic muito boa, a minha primeira bedge. *-* nem curto muito, mas você realmente escreve bem. bjs

Unknown disse...

Minha primeira bedge também, e já li 3 vezes. Não me canso e tenho certeza que logo vou ler mais uma vez, é sem dúvida das melhores fanfics que lá li, parabéens, estou torcendo para que em breve venha mais uma fic sua assim *u*